domingo, 12 de setembro de 2010

Massa caseira com cacau

Não existe nome melhor para o blog do que bicho curioso...embora meu marido ache que o melhor seria chamar de bicho exótico, pois de vez em quando resolvo investir em receitas "estranhas"...pois ontem de noite resolvi fazer massa em casa. Claro que eu não me contentaria em fazer algo simples (bicho curioso, ?). Já há alguns dias eu havia comprado um livro de culinária italiana lançado pela editora abril (está nas bancas, são receitas típicas de cada país mensalmente) e achei uma receita de um tagliarini de cacau com molho de lulas. Aí a memória despertou para um passeio por Assis, na Itália, onde lembro claramente da imagem de pacotes de massa de cacau pendurados nas lojinhas de souvenirs...e que obviamente não tinha cabimento trazer um pacote de massa daquela viagem de mochilão... Mas a massa de cacau ficou na minha memória como algo que eu precisava MUITO experimentar, então fiquei super contente quando achei a receita no meu livrinho novo. Tudo bem que não é exatamente um programão de sábado à noite, mas não via a hora de ter um tempinho para colocar literalmente a mão na massa.


Para a massa:
- 2 pães cacetinhos sem miolo picados (fiquei desconfiada,mas dá certo, tenha fé que dá)
- meia xícara de água
- 1 ovo
- 2 colheres de sopa bem cheias de cacau em pó (tenho séria desconfianças que deveria ser uma xícara de cacau para ficar bem preto como na foto do livro)
- 1 colher de chá de sal
- 2 xícaras de farinha de trigo

Bom, para fazer a massa resolvi usar a minha batedeira planetária. Misturei os ingredientes (coloquei só metade da farinha inicialmente e fui acrescentando o restante aos poucos) e fui batendo lentamente até ficar bem homogêneo e desgrudar do gancho da batedeira. Claro que daria para misturar na mão, mas já que a batedeira é super eficiente para isso, por que não? (só acho que poderia ter umedecido o pão na água um pouco antes para facilitar a mistura, mas dá certo igual, farei isso das próximas vezes). Quando a massa ficou homogênea e desgrudou do gancho da batedeira, desliguei a batedeira e coloquei a massa sobre a bancada da pia devidamente enfarinhada. Na receita original mandava abrir a massa com um cilindro, mas quem tem um trambolho desse em casa hoje em dia??? Eu abri com o rolo de massa mesmo e foi bem fácil, a massa fica super macia, bem maleável mesmo. Deixei com uns 3mms de espessura, dei uma leve enrolada na massa e fui cortando o rolinho para fazer os fettucinis:

Confesso que foi bem mais fácil do que eu esperava:Na sequência fervi bastante água em uma panela alta e cozinhei a massa com uma colher de sopa de sal por 5 minutos. Aí é escorrer a massa... E acrescentar o molho. A receita original era com lulas, mas como não as tinha em casa, fiz um molho de tomate básico, com uma cebola pequena refogada e quatro tomates cortado em "pétalas" (pura frescura da descrição da receita original). Dei uma leve refogada na cebola e no tomate, acrescentei meio vidro de aspargos em conserva e um punhado de manjericão (usei desidratado, mas fresco teria sido melhor). Misturei na massa e reguei um pouco de azeite de oliva, pimenta do reino moída na hora e polvilhei queijo parmesão ralado:

O resultado? Bom, achei legal de fazer, mas a massa ficou muito diferente da foto do livro de receitas (como disse acima, acho que vai bastante cacau em pó para ficar bem escura). Mas em termos de sabor não faz muita diferença...A massa fica muito gostosa, mas o sabor do cacau não interefe quase nada. Acho que o pão deixa a massa levinha, fica suave. Vou experimentar de duas outras formas: fazer um dia com mais cacau e outra vez sem o cacau...e depois dou notícias... afinal o bicho curioso não pode deixar de curiosar...

3 comentários:

Fabricio disse...

Efetivamente, temos de incrmentar esta receita. Acho que podemos colocar bem mais cacau, para fixar um sabor diferenciado e para deixar mais preto. Quanto a água quente, não conheço a técnica mas podemos experimentar. Uma outra coisa que devemos fazer é procurar um molho que valorize mais o sabor do cacau, não sei se alguma coisa agridoce não casaria legal. Enfim, vai exigir um pouco mais de criatividade e dedicação, mas acho que minha mama italiana está no caminho certo das massas, que têm ficado todas com uma boa consistência e textura. De repente, uma farinha de sêmola, se encontrarmos, pode dar uma diferenciada. Beijinhos

Sabrina disse...

bah giana, que diferente.. até eu me animei a fazer! hahaha..
bom. mas eu não tenho rolo de massa, nem a batedeira.. vou abrir com uma garrafa de vinho e bater no processador multiuso :P
beijos

Giana disse...

Bina, amassa na mão mesmo, dá ponto super rápido.