terça-feira, 14 de setembro de 2010

O pão semi-caseiro

Há algum tempo estava conversando com minha mãe e ela disse que havia comprado uma mistura pronta de pão para fazer em casa. Eu andava meio enjoada dos pães de sanduíche comprados no mercado, então achei a idéia bem interessante. Nunca fui muito de fazer massas em geral em casa, mas fiquei curiosa e resolvi me aventurar...

Acho que com a invenção e popularização das máquinas de fazer pão em casa houve uma demanda por esse tipo de mistura pronta. Eu não tenho essa máquina (nem pretendo), mas no pacote explicava como fazer manualmente também.

Eu achei essa mistura da Roseflor no mercado e achei interessante por ser 8 grãos light. Já experimentei várias outras marcas e mesmo outros sabores dessa, mas esse é o melhor de todos. Também precisei testar o modo de fazer algumas vezes até chegar no que acho que fica melhor, que descrevo a seguir.
Esse pacotinho dá dois pães grandes, então eu costumo fazer metade por vez.
Eu costumo fazer na batedeira planetária, que tem o gancho especial de bater massas.

Como eu faço então...acrescento meio pacote dessa mistura, 1 pacote de fermento biológico seco, 1 sachê de melhorador de pães (tem lá no mercado junto com os fermentos) e dois copos americanos de água morna. E aí a batedeira faz o trabalho, misturando tudo e batendo em potência alta por 5 minutos. Aí eu transfiro para uma forma de pão untada previamente e deixo crescer até quase a borda (ou até dobrar de volume, dá em torno de 2-4h, depende do clima do dia...às vezes faço cedo de manhã e coloco para assar quando volto ao meio-dia). Para assar são mais ou menos 15 minutos em potência alta e mais uns 20 em potência baixa, ou melhor, até ficar dourado em cima. Eu uso o truque do palito: enfio o palito de dente no pão e, quando sair seco, está pronto. É só esperar esfriar um pouco e desenformar. Acho que fica bem interessante, não é o pão feito em casa mesmo, mas por enquanto ainda não me aventurei na arte da panificação muito além disso com agum resultado positivo...quem sabe daqui mais um tempo...

5 comentários:

Fabricio disse...

Oi Amorzinho!
Vou começar a comentar mais as receitas. Acho difícil comentar pq sempre fazemos juntos, mas acho que posso passar aos demais leitores a minha opinião sobre as receitas (depois não reclama, hehehehe).
Quanto ao pão semi caseiro, tenho a dizer que efetivamente ele é uma ótima opção para os pães comprados prontos. Primeiro pq é mais barato, rende e dura bem mais e não tem o gosto de produto químico que alguns apresentam. Em segundo lugar, pq permite inventar e criar em cima, como colocar recheios, fazer pães menores de entrada para uma janta, etc.
Mas o melhor mesmo é o cheirinho de pão novo na casa, que nos remete a infância e nos lembra o muito que perdemos da ligação humana e familiar daquilo que comemos, afinal, comida é também uma experiência social. Beijos

Myrna disse...

Ótimo comentário do Fabrício!!! Cheiro de pão fresco na casa é bom demais!
O último que eu botei aqui na máquina espalhou cheiro até 5 andares abaixo do meu hehehehe meu marido que disse!
E quem sempre tem cheiro de pão fresco em casa é a Martina, né? Ela tem o know-how dos pães pequenos e deliciosos. O mini-pirão e a farinha de centeio que ela coloca na massa deixam o pão desesperadamente gostoso. Já incorporei aos pães de casa :-)

Giana disse...

Sim, pão assando em casa é tudo de bom...agora quero começar a me aventurar a fazer pães em casa caseiros de verdade, vou começar com as receitas da Martina que certamente darão certo !!!

martina disse...

haha, essa caixa de comentários tá ótima.
bom mesmo é fazer a olho. e encher de grãos: sementes de girasol, passas, nozes, trigo inteiro, linhaça. é uma surpresa a cada fornada!

Anônimo disse...

ola pessoal, a Roseflor tem disponivel no mercado 08 tipos de pães funcionais lights que são uma maravilha é facilimos de fazer. Acesem o site www.roseflor.com.br e vejam as novidades e receitas deliciosas..um abraço